Segundo o mais recente Open Doors Report do Institute for International Education (IIE), mais de 289 mil estudantes americanos participaram em 2013 em programas de mobilidade de curta duração no estrangeiro, o que representa cerca de 9% de alunos não licenciados nos Estados Unidos.

 

Enquanto a Europa é escolhida por mais de metade destes estudantes, com apenas três países a somar 32% do total em todo o mundo (Reino Unido, Itália e Espanha, respectivamente, por ordem de preferência), Portugal continua, infelizmente, fora do radar da maioria dos estudantes americanos. Embora cerca de 10 mil estudantes do programa Erasmus tenham escolhido Portugal como destino académico o ano passado, foram menos de 200 os americanos que tomaram essa mesma decisão.

 

Foi perante esta realidade, associada à necessidade de internacionalização das instituições de ensino portuguesas, que a FLAD, em parceria com a Embaixada dos Estados Unidos da América em Lisboa, Câmara Municipal de Lisboa, a Comissão Fulbright Portugal, a SATA, o AICEP,  o Ministério da Educação e o Ministério dos Negócios Estrangeiros criaram, a 7 de Outubro de 2015, o Study in Portugal Network (SiPN) ®, que numa primeira fase estabeleceu entendimento com 4 universidades lisboetas, o ISCTE-Instituto Universitário de Lisboa, a Universidade Católica Portuguesa-Lisboa, a Universidade de Lisboa e a Universidade Nova de Lisboa.

 

O programa terá uma base itinerante, tendo como suporte logístico uma destas universidades por semestre/programa de verão. É por isso um programa académico (de estadias de curta duração, no mínimo de um mês de Verão, no máximo um ano letivo completo) em puro formato de consórcio com vista a potenciar e criar sinergias positivas entre as instituições envolvidas acelerando o processo de internacionalização das mesmas e aumentando as suas receitas próprias. Para o estudante norte-americano as vantagens são óbvias na medida que terá acesso a centenas de unidades curriculares oferecidas regularmente em inglês, sendo-lhe possível organizar o seu plano de estudo de forma livre com plenitude de oportunidades, facto possibilitado também pela proximidade das instituições de ensino envolvidas. Para aqueles que mostrarem domínio da língua portuguesa, terão ao seu alcance ainda mais opções curriculares.

 

Outro dos atributos distintivos do programa, é a presente bolsa de estágios de verão já disponível (e em larga expansão) para os alunos interessados neste aspeto, tangibilizando-se assim a ideia de imersão em contexto laboral português e conexão prática com os conteúdos lecionados em sala de aula.

O website do SiPN (studyinportugalnetwork.com) foi lançado em finais de fevereiro, e a data limite de inscrições para os programas de Verão e primeiro semestre de 2015/2016, ambos a serem sedeados operacionalmente no ISCTE-IUL, foi 30 de Abril, dispondo-se assim de uma janela de oportunidade de recrutamento relativamente curta para um programa que estava a dar os primeiros passos, ainda assim os resultados do recrutamento não podiam ser mais animadores, 23 estudantes admitidos para o programa de Verão (composto por 3 sessões, nos meses de Junho, Julho e Agosto), e 7 para o primeiro semestre do ano letivo que se avizinha.

Este número bastante satisfatório para a primeira edição do programa é fruto de diversos esforços desenvolvidos no sentido de difundir rapidamente a estrutura e atributos disponibilizados pelo SiPN, suas universidades e instituições parceiras. Das ações de promoção desenvolvidas destacam-se o “SiPN Road Show 2014”, que passou  por várias universidades nos EUA, consulados e embaixada Portuguesa nesse país, perfazendo-se um total de 49 apresentações realizadas durante 10 de Outubro e 19 de Novembro de 2014.

 

Em Maio de 2015, o SiPN (apoiado pela FLAD) participou de 24 a 29 Maio em Boston, Massachusetts, na maior feira de educação internacional nos Estados Unidos, a NAFSA – Association of International Educators, com a colaboração e presença do embaixador dos EUA em Lisboa, Robert Sherman. Mais de 11 200 pessoas participaram este ano no evento, o maior número de sempre, permitindo assim ao SiPN alcançar largos níveis de notoriedade e iniciar uma série de contactos que se pensam desenvolver e concretizar na vinda de muitos mais estudantes provenientes das várias universidades com que se estabeleceu uma primeira aproximação.

 

Já com estudantes SiPN em solo português, importa ressalvar o facto dos estudantes admitidos provirem de universidades localizadas em longitudes variadas, o SiPN acolheu/acolherá estudantes da Universidade de Brown (MA), Universidade da California – Berkeley (CA), Universidade de Wisconsin – Milwaukee (WI), Universidade do Massachusetts – Amherst (MA), Stanford University (CA), San Jose State (CA), Brigham Young (UT), Universidade de Notre Dame (IN), Universidade de Rhode Island (RI), Universidade de Indiana – Bloomington (IN), Wellesley College (MA) e Bentley University (MA), inclusive foi admitida no programa uma aluna da Escócia (Universidade de Aberdeen), facto que numa primeira instancia permite ao SiPN acreditar que a proveniência de alunos pode e deve ser diversificada a vários estados dos EUA, não se ficando circunscrito apenas aos estados com maior presença de estudantes luso-americanos.

 

Os estágios de verão merecem especial destaque pelo interesse demonstrado pelos estudantes e universidades americanas parceiras (ou em vias de o serem). De momento o SiPN tem estudantes de verão a colaborar com instituições tão variadas como a Fundação Champalimaud – Center for the Unknown, o Ministério do Negócios Estrangeiros, Banco BiG, Galeria de Arte Urbana (CML), StartUp Lisboa (CML), Hovione Pharmaceutical, Centro de Arqueologia de Lisboa (CML), entre outras.

 

Entretanto foram já adicionados ao portfólio de estágios SiPN uma série de novas vagas disponíveis para próximas edições, preparando-se desde já resposta para o que se espera ser um aumento da procura por parte dos estudantes americanos no SiPN muito considerável. Para enumerar algumas das instituições que estabeleceram colaboração com o SiPN neste sentido:  Instituto de Medicina Molecular, IBM Portugal, Portugal Economy Probe, INESC-ID (IST-UL), FabLab Lisboa, Fulbright Portugal, Instituto Diplomático, entre outros. A grande novidade foi a inclusão de oportunidades de estágios no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (Universidade do Porto), aquele que pode, simbolicamente, representar o alargamento do Network a outras cidades do pais, como é vontade do Conselho Académico do SiPN, composto por um representante de cada universidade parceira e um representante da FLAD, o Prof. Michael Baum, diretor do SiPN e membro do Conselho Executivo da FLAD.

 

Ricardo Pereira

Lisboa, Portugal

Study in Portugal Network, On-site Coordinator

ricardo.pereira@studyinportugalnetwork.com

 

Saiba mais aqui.