No passado dia 12 de Outubro decorreu mais uma edição da maior iniciativa de voluntariado corporativo a nível nacional. 

 

 

Em Santo Tirso, mais precisamente no Castro do Monte Padrão, em parceria com o Projeto das 100 mil árvores do Centro Regional de Excelência em Educação para o Desenvolvimento Sustentável da Área Metropolitana do Porto, os voluntários trabalharam arduamente na manutenção e plantação de árvores e arbustos nativos contribuindo para a moldura vegetal nativa que está a criar-se à volta deste património cultural.

Veja as fotos aqui.

 

 

 

Em Quintandonda, Penafiel, em parceria com o projeto Aldeias de Portugal, foram embelezados espaços públicos da Aldeia, com direito a um almoço comunitário e posterior definição de um percurso sensorial na Aldeia, promovendo o Turismo inclusivo.

Veja as fotos aqui.

 

 

 

No centro, em Sever do Vouga, em parceria com o Município, os enérgicos voluntários procederam à limpeza e remoção de lixo florestal e recuperaram parte dos trilhos, parte integrante da Rota da Água e da Pedra, uma rota turística que atravessa 7 municípios e riquíssima em património natural e cultural.

Veja as fotos aqui.

 

 

 

Um pouco mais abaixo, em parceria com o projeto Fundação Mata do Bussaco, os voluntários não tiveram mãos a medir para limpar as capelas e ermidas e remover invasoras da Floresta, área protegida plantada pela Ordem dos Carmelitas Descalços no século XVII.

Veja as fotos aqui.

 

 

 

Já na zona da Grande Lisboa, em Oeiras, com o projeto Semear, as centenas de voluntários procederam à plantação, conservação de culturas e apanharam produtos hortícolas de origem portuguesa em extinção, de produção biológica. De notar que esta ação contou com a mentoria de jovens com dificuldade intelectual e do desenvolvimento e coordenada por uma equipa de engenheiros agrónomos e técnicos.

Veja as fotos aqui.

 

 

 

Em Monsanto, em parceria com o Parque Florestal de Monsanto, os inúmeros voluntários fizeram de tudo um pouco: desde limpar um Menir no Miradouro de Montes Claros, removeram ramagens secas e infestantes e até foram sensibilizados para boas práticas no cuidado a ter na limpeza florestal.

Veja as fotos aqui.

 

 

 

Num dos bairros mais típicos de Lisboa, em parceria com o projeto Renovar a Mouraria, ao final do dia os voluntários estavam estupefactos. No percurso de conhecimento de marcos culturais da Mouraria, foram recolhendo beatas espalhadas pelo chão, que totalizaram mais de 22 mil… Para além da reabilitação da loja da Associação Renovar a Mouraria, houve também um workshop de Compostagem, com o compostos a reverterem para a comunidade e fizeram uma campanha de sensibilização para a recolha do lixo junto da população local.

Veja as fotos aqui.

 

 

 

Já na Carrasqueira, mais concretamente no Cais Palafítico, em parceria com o projeto Ocean Alive, os voluntários acabaram o dia realizados mas completamente extenuados. Numa das ações com maior dificuldade, procederam à retirada das redes do fundo do cais, com o envolvimento da comunidade piscatória e à limpeza das margens do cais e do estuário. Quem conhece o local, sabe que não é tarefa fácil….

Veja as fotos aqui.

 

 

 

A sul, em Loulé, em parceria com o projeto Almargem, animação não faltou durante o dia em que os voluntários limparam lixo e vegetação invasora que obstrui as linhas de águas da Ribeira do Cadoiço, património natural e cultural. No final do dia, as diferenças eram bem visíveis!

Veja as fotos aqui.

 

 

 

Cruzando o Oceano, para além da vista deslumbrante, os voluntários não descansaram na Ribeira Funda, na Madeira. Em parceria com a Associação do Caminho Real da Madeira, o desafio era grande: erguer uma ponte de pedra que havia sido destruída numa tempestade. Além da limpeza do trilho, foi montada uma estrutura com madeira existente na zona, permitindo a todos a livre circulação naquele local fantástico.  

Veja as fotos aqui.

 

 

 

A ação que estava prevista para a Mata dos Bispos, nos Açores, em parceria com a Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves (SPEA), teve de ser adiada devido às condições meteorológicas. No dia 19 de Outubro, o clima ajudou e os voluntários plantaram espécies nativas e endémicas dos Açores para reforço da plantação existente e das ações de restauro ecológico realizado nos últimos anos.

Veja as fotos aqui.

 

 

Os nossos sinceros agradecimentos a todos os que tornaram este GIRO possível:

 

Aos Associados: Atlântica, A. Silva Matos, Accenture, Auchan, BSD Consulting, Central de Cervejas, Delta Cafés, Egas Moniz CRL, El Corte Inglés, Esposende Ambiente, Essilor, Eurest, everis, F3M, Fidelidade, Fundação BP, Fundação Montepio, Fundação PT, Gebalis, GA_P, Groundforce, Grupo CH, Grupo Sousa, Indaqua, Ipsos APEME, J. Walter Thompson, Klepierre, Lift Consulting, Lipor, McDonald’s, MichaelPage, Miranda, Morais Leitão, Moneris, NearSoft Solutions, Neya Lisboa Hotel, OCP, Pfizer, Portugália, Prio, Parques de Sintra- Monte da Lua, PwC, Quasar, Resiquímica, RTP, Sair da Casca, Santander, SDL, Servilusa, Sérvulo&Associados, Siemens, Super Bock Group, Trivalor, Universidade Europeia, Vale de Lobo, Via Directa, Vieira de Almeida & Associados, Widex e Xerox.    

 

Às Instituições convidadas: Fundação Mão Amiga, Casaxiné Centro para a promoção e desenvolvimento Cultural de Quintandona.

 

Às Universidades participantes no âmbito do projeto Uni.network: ISCSP, ISEL, Universidade de Aveiro.

 

Para o ano há mais! Contamos convosco :-)