A União Europeia instituiu 2018 como o Ano Europeu do Património Cultural, focando não só a promoção da diversidade e do diálogo interculturais e da coesão social, mas também alertar para o papel da cultura e do património no desenvolvimento social e económico na Europa e nas suas relações externas.

 

Segundo Guilherme d’Oliveira Martins, Coordenador Nacional do Ano Europeu do Património Cultural, a efeméride “visa sensibilizar para a história e os valores europeus e reforçar o sentimento da identidade europeia, considerando esses valores como realidades abertas à diversidade e ao encontro de outras culturas. Referimo-nos à memória viva, seja ela relativa a monumentos, sítios, tradições, seja constituída por acervos de museus, bibliotecas e arquivos. Mas fundamentalmente tratamos de conhecimentos ou de expressões da criatividade humana…”

São várias as iniciativas que decorrerão ao longo dos próximos meses, das quais pode ficar a par no site oficial aqui.

 

O último Encontro Temático do GRACE, que decorreu no passado dia 5 no Porto, foi dedicado a essa matéria e são vários os Associados que também estão a celebrar com várias iniciativas.

Destacamos o Associado Gradiva que lança hoje, em Lisboa, no Grémio Literário, o livro Ao Encontro da História – o culto do Património Cultural, de Guilherme D’Oliveira Martins.

 

 

O Associado Fundação Manuel António da Mota inaugura hoje à noite, no seu Auditório, mais uma edição do ciclo de Música CulturaViva, que se prolonga até Dezembro. Mais informações aqui.

 

 

Também hoje, o GRACE participa no Porto no Seminário “Património, Turismo e Desenvolvimento Sustentável”, promovido pelo Pporto Dos Museus e VERde NOVO, que tem por objetivo promover uma reflexão sobre o Património Cultural na sua diversidade, enquanto fator de coesão social e de desenvolvimento económico. O GRACE intervém no Painel III. Cultura, Turismo e Inovação Social e abordará os desafios e oportunidades da Responsabilidade Social Corporativa no Turismo.